Tesouros…

Quando te sentes confuso, quando nada na tua cabeça parece fazer sentido, que deves fazer? Eu não sei, tento, tento e tento mais um pouco procurar razões lógicas, achar soluções para todas as dúvidas disparatadas que aparecem… Mas todos os dias antes de adormecer dou conta que afinal, não achei nenhuma solução, que a procura incessante só me levou a novas duvidas, que estou feita num caos. Já Nietzsche dizia que é preciso o caos para nascer uma estrela, eu tenho o caos em quantidade maléfica, e não vejo modo de ele se reorganizar e transformar-se numa estrela. Estas dúvidas são bem mais simples quando são dos outros que podes aconselhar enveredando apenas pela razão e deixas de parte as razões do coração, porque não é a ti que doi, porque não é o teu coração que fica apertadinho e escondido, com medo de bater a cada pensamento que tens…

Eu muitas vezes quis não ter certezas, mas cada vez mais prefiro não ter duvidas que me atormentam o corpo e a alma, que põem em cheque coisas valiosas demais para serem hipotecadas… O meu problema é ter mais do que o que devia, é mesmo sabendo isso ser ambiciosa de mais, quero o mundo mas nao me consigo desenvencilhar sequer com um continente…. e vou dando a volta, o meu melhor sorriso, o meu discurso desorientado, a minha aura vibrante ou lá que porra ela é e de repente lá está, o mundo para mim, e no momento dou conta que não quero o mundo, quero apenas uma pequena ilha no meio do nada, onde possa ter tranquilidade a luz do sol e  a  lua. O que é que eu faço com o resto?? O que eu faço??? Como livrar-me agora do mundo e poder escolher a ilha onde quero passar o resto dos meus dias?  “Um dia vou perceber que só queres o que te escapa…” eu já percebi, mas acho que isso pouco ou nada depende de mim… E sendo assim cada vez me encontro pior, a amealhar tesouros, a ter de prescindir deles e saber que nunca mais vou poder te-los nas minhas mãos…A carga dos trabalhos começa quando não quero prescindir dos tesouros que me restam e não posso carrega-los mais comigo… Não são tesouros daqueles que podes deixar ir mas que para sempre vão ser um bocadinho teus, são tesouros que se os deixar vão perder-se para sempre nas profundezas do oceano e nem a minha aura mais colorida conseguirá resgata-los…

vou ter o mundo aos pés… sem sequer dar conta ter feito alguma coisa para que isso acontecesse…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s