De onde é que me apareceste????????

Hoje é daqueles dias que não faço a mais leve ideia de onde me apareceste.

Continuo a acreditar que às vezes a vida nos dá um encontrão e quando damos conta já tudo mudou. Quando olhamos para trás e percebemos que já nada pode ser como antes, precisamente na altura em que desejavamos que nada mudasse. Um dia talvez vou perceber porque é que isto sempre nos acontece. Quando temos planos para estacionar, um bafo qualquer de vida nos atropela e nos deixa novamente em contramão. Tentamos tomar as rédeas da situação e acreditar que não, não vale a pena continuar porque vamos ser sempre o avesso do outro, parecidos por fora, mas diferentes por dentro. Vamos ser sempre como duas metades incompativeis que teimam em viver de costas voltadas. Nós á espera que eles se virem e nos abracem e eles sempre á espera que a vida lhes traga um sinal, que lhes aponte um caminho ou mesmo que escolha por eles, enquanto vivem ensombrados de dúvidas. E como não têm muito jeito para inventar desculpas inteligentes então somos nós históricamente paranóicas. Sabemos que no fundo toda esta atitude se prende com o medo, medo de nada e de tudo, medo de largarem a solidão que têm como certa, medo de ficar com o menos do que o nada que já têm, chega a ser piedoso o medo que eles têm em se dar, precisamente quando dizem que o seu grande problema é darem-se demasiado…puffff…. E durante tempos fazemos parecer que não nos importa, que não nos interessa esse mundo do qual nunca vamos fazer parte, esse mundo onde se escondem à procura deles próprios que é o que os homens fazem quando não querem crescer nem assumir responsabilidades.Sentes-te á parte desse mundo a vaguear na estratosfera e achar-te idiota por gostar dele assim com todos os defeitos chapados na cara, mesmo com palavrões e disparates, mesmo confundindo tesão com amor, respeito com austeridade, carne com peixe, ou azul com o amarelo sem nunca quererem ser levados a sério. Sentes-te idiota por não idealizares nem fazeres planos de futuro, por não precisares de promessas ou contrato. Precisas apenas daquele sorriso desconcertante de puto que nunca vai ser homem, do calor da voz de rockstar desafinado, das suas mãos no teu corpo e do coração na boca, e perguntas de onde é que tu me apareceste…e porque que a vida teima em acordar-te precisamente quando estavas a adormecer…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s